Juazeiro do Norte-CE: Assaí Atacadista é acusado de maltratar animais

Juazeiro do Norte-CE

O Assaí Atacadista em Juazeiro do Norte está sendo acusado de maus-tratos contra animais pela Associação de Proteção Animais do Cariri-APAC.

A acusação surgiu após denúncias de clientes do supermercado que flagraram a prisão de cães em jaulas improvisadas nas dependências do comércio.

As fotos foram enviadas para a Presidente da APAC, Jaqueline Gouveia, que esteve no local e constatou a denúncia.

Pelo menos, três cães estavam presos em carrinhos de supermercado postos um sobre o outro, improvisando uma jaula. Segundo informou Jaqueline, calcula-se que eles tenham passado três dias ao relento sofrendo com frio e sol como também não eram alimentados.

Não se sabe qual destino era dado aos animais, visto que outros cães já haviam sido presos e não se tem noticia do que aconteceu com eles.

Os cães apareciam nas imediações do Assaí Atacadista em busca de comida, atraídos pelo cheiro do lixo, e então eram capturados.

Jaqueline afirma também que a negligência do poder público local contribui para que os cães perambulem pela cidade e acabe ocorrendo medidas inadequadas, iguais a tomada pelo supermercado.

Ainda segundo a presidente da APAC, a gerente do supermercado informou que não sabia da situação. Mas, Jaqueline teria recebido a informação de que as ordens teriam partido da própria gerente.

A reportagem do Site Miséria não conseguiu contato com os responsáveis pelo supermercado.

Saiba Mais

No Brasil, maltratar animais de qualquer espécie é considerado CRIME AMBIENTAL, segundo prevê o art. 32 da Lei nº 9.605, de 1998, com pena de detenção de três meses a um ano e multa.

Além da violência física, são considerados maus tratos contra os animais: o abandono em via pública; mantê-lo permanentemente acorrentado; não abrigar do sol e da chuva; mantê-lo em local pequeno, não higiênico e/ou sem ventilação adequada; não alimentar diariamente; negar assistência ao ferido; obrigar o animal a trabalho excessivo.

Agregue un comentario

Su dirección de correo no se hará público. Los campos requeridos están marcados *